13 dicas de marketing digital para pequenas empresas

Admita: ao menos uma vez você já pensou em investir em marketing digital mas, na hora de colocar a mão na massa, desistiu. Acredite, você não está sozinho. O grande volume de informações sobre o assunto e a variedade de termos utilizados por quem atua nesse ramo muitas vezes dão a impressão de tratar-se de uma estratégia cara e complicada.

Na verdade, essa percepção não poderia estar mais longe da verdade. Muito mais barato do que divulgar seu negócio nas mídias tradicionais, investir em presença digital é uma estratégia que apresenta excelentes resultados para pequenos e médios empreendedores.

Para que você possa entender melhor como você pode conquistar mais clientes e firmar-se como autoridade na sua área de atuação, preparamos esse guia com 13 dicas de marketing digital para pequenas empresas. Por ele, você vai compreender como dar os primeiros passos na inserção digital do seu negócio. Acompanhe!

1. Entenda onde você quer chegar e trace metas realistas

Se você vai apostar em marketing digital para pequenas empresas, o primeiro passo é definir que objetivos pretende atingir. Pode parecer meio óbvio dizer isso, mas acredite, muitos empreendedores começam a pensar em estratégias sem antes definir onde querem chegar.

Na hora de traçar suas metas, leve em consideração que para promover um crescimento sustentável, o marketing digital para pequenas empresas é um trabalho que oferece resultados principalmente em médio e longo prazo. Por isso, é importante ter expectativas realistas.

Por isso, desconfie de consultores e agências que oferecem resultados milagrosos em poucos meses e concentre-se em traçar seus objetivos. Afinal, quais são suas metas? Iniciar a construção da identidade digital da sua marca? Fortalecer a sua presença na web? Aumentar o número de visitas ao seu site? Obter mais visibilidade para o seu negócio nas redes sociais? Firmar-se como autoridade na sua área de atuação?

Somente após definir aquilo que você está buscando será possível traçar o plano de ação mais adequado. Também é assim que é possível estimar qual será o tempo necessário para que o objetivo seja alcançado.

2. Invista na sua identidade visual

Quando um empreendedor busca dicas de marketing digital para pequenas empresas, muitas vezes está dando os passos iniciais na implantação do seu negócio em ambientes digitais.

Por isso, uma das primeiras medidas a serem adotadas é padronizar a sua identidade visual. Isso deve ser feito tanto online quanto offline, para que a sua marca possa se comunicar com esse público de maneira coerente e impactante.

Em outras palavras, é importante criar um padrão no que diz respeito a cores, texturas, logos e quaisquer elementos visuais que identifiquem o seu negócio. Em seguida, use-os em todas as suas plataformas de comunicação, como cartões de visitas, prospectos, site, blog e perfis em redes sociais.

O ideal é que o seu negócio seja facilmente reconhecido pelo público em qualquer espaço, seja no ambiente digital ou fora dele, fortalecendo cada vez mais a sua marca.

Empresas que não investem na identidade visual ou apresentam variações em seus elementos visuais passam a impressão de amadorismo e desorganização. Consequentemente, perdem credibilidade em um mercado cada vez mais competitivo.

3. Conheça a importância do SEO e do SEM

Se você perguntar a qualquer empreendedor que aposta em marketing digital para pequenas empresas quais são os seus maiores objetivos, certamente vai ouvir algo como “que o site do meu negócio apareça entre as primeiras posições do Google”.

Nada mais natural. Mensalmente, são realizadas nada menos que 100 bilhões de pesquisas no buscador. Em tempos ultra conectados como os que vivemos, quando alguém tem dúvidas sobre como resolver um problema ou quer obter um produto ou um serviço, quase sempre recorre ao Google para matar a charada.

Por isso, quanto melhor o site da sua empresa estiver posicionado no buscador, maiores serão as chances de que você obtenha mais clientes e feche mais negócios.

Para alcançar esse “sonho dourado” dos estrategistas do marketing digital para pequenas empresas, você precisa conhecer dois conceitos essenciais: SEM e SEO.

Em ambos os casos trata-se de encontrar e definir termos, frases e palavras chave relacionados tanto ao seu negócio quanto às necessidades dos clientes que você poderá solucionar. Quais palavras ou frases as pessoas usarão para pesquisar aquilo que você oferece? Quais palavras ou frases melhor descrevem seus produtos ou serviços? Que termos e palavras seus concorrentes utilizam?

O primeiro deles, SEM, ou search engine marketing, expressão em inglês que pode ser traduzida como marketing para mecanismos de busca, é o conjunto de técnicas que ajudam você a chegar na primeira página do Google. Falando de maneira abrangente, essas técnicas podem ser divididas em dois grupos: SEO e links pagos.

O  SEO, ou search engine optimization, expressão em inglês que significa otimização para mecanismos de busca, é um conjunto de estratégias utilizadas para adequar sites e blogs. Estas técnicas permitem que eles melhorem seu ranqueamento nos buscadores de maneira orgânica, isto é, sem precisar pagar por isso.

Trata-se de uma estratégia tão importante e com resultados tão reconhecidos que, de acordo com uma pesquisa publicada no site Search Engine Land, a estimativa é que, até 2020, empresas ao redor do mundo invistam cerca de US$ 79 bilhões em SEO. Você pode conhecer um pouco mais sobre essas técnicas neste post que fizemos sobre o assunto.

Já os links pagos, como o próprio nome diz, é uma maneira de posicionar seu site na primeira página do Google por tempo determinado, pagando por isso. A inclusão de um link para a sua página pode ser realizada por meio de diversos modelos de negócio. Em alguns deles, você paga somente pelo número de usuários que efetivamente clicarem no link para o seu site.

4. Aposte em marketing de conteúdo, o coração do marketing digital para pequenas empresas

Uma das estratégias mais eficazes de marketing digital para pequenas empresas é, sem dúvida, investir em conteúdo relevante. Se você já ouviu alguns mitos sobre o assunto, como o de que marketing de conteúdo é caro demais e não traz resultados, esse é um bom momento para se desfazer deles.

Na hora de eleger quais sites aparecerão nas primeiras posições quando um usuário faz uma busca em sua página, o Google leva em consideração uma série de variáveis. No entanto, a mais importante delas é a experiência do usuário.

Traduzindo melhor, o buscador prioriza sites que auxiliem o leitor a entender, da melhor forma possível, seus anseios e necessidades. E de que outra maneira você pode fazer isso senão oferecendo para esse público informações confiáveis sobre aquilo que você sabe fazer de melhor?

Além disso, o marketing de conteúdo é uma estratégia que apresenta potencialidades únicas, já que faz muito mais do que atrair novos clientes para o seu site — o que, por si só, já seria uma excelente vantagem. Por meio dessa ferramenta, você pode posicionar-se como uma referência na sua área de atuação, gerando autoridade e aumentando sua credibilidade.

Outra vantagem é que, ao contrário do que se pode imaginar, investir em marketing de conteúdo não custa caro.  Na verdade, a ferramenta possibilita que você reduza seu custo de aquisição de novos contatos, uma vez que um único post pode atingir um grande número de pessoas. De acordo com o Demand Metric, o marketing de conteúdo custa em média 62% mais barato que o tradicional.

Também é importante considerar que, diferente do que acontece quando se trabalha exclusivamente com mídia paga, os seus conteúdos  — e, consequentemente, o seu negócio  — poderão ser permanentemente encontrados pelos sites de busca ou mencionados em outros sites.

Dessa maneira, você fortalece sua  presença no meio digital de maneira sustentável e, principalmente, não invasiva. Isso torna a primeira impressão da sua marca muito mais amigável. Se você quiser conhecer mais a fundo as vantagens do marketing de conteúdo você pode dar uma olhada nesse post que fizemos sobre o assunto.

5. Defina a sua persona

Uma vez que você já entendeu a importância de investir em marketing de conteúdo, agora é hora de aprender outra importante lição de marketing digital para pequenas empresas. Defina sua persona!

Definir a sua persona nada mais é do que um perfil fictício das pessoas que você deseja atingir. Diferente do que acontece ao criar seu público-alvo, que traz uma descrição mais genérica, a persona é um perfil bem completo do seu consumidor. Ela é baseada em características como gênero, profissão, idade, motivações, desafios e preocupações.

A princípio, você pode achar até desnecessário parar e traçar um perfil tão detalhado do seu cliente. Mas acredite, trata-se de uma estratégia muito útil para que você possa definir o tom de voz do seu conteúdo.

Com a persona definida, fica mais fácil delinear o tipo de mensagem que você quer passar, o estilo que seu conteúdo precisa ter e quais são os tópicos que devem ser abordados. Uma das chaves do sucesso de uma estratégia de marketing digital para pequenas empresas bem sucedida é um planejamento bem feito. Por isso, não abra mão dessa ferramenta!

6. Aprenda a trabalhar com palavras-chaves

De nada adianta produzir conteúdo de qualidade, ao desenvolver o marketing digital para pequenas empresas, se ele não puder ser encontrado por quem mais importa: seus potenciais clientes. Para que isso aconteça, como você já pode perceber, é essencial que ele apareça na primeira página do Google. E uma das maneiras mais eficazes de chegar até lá é utilizando técnicas de SEO.

Para ser localizado pelos motores de busca, existem uma séries de boas práticas utilizadas por estrategistas de marketing digital. Uma das mais importantes, sem dúvida, é usar, ao longo do texto, palavras-chave que estejam fortemente relacionadas ao produto ou serviço que a sua empresa oferece.

A escolha dessas palavras-chaves não pode ser feita de maneira intuitiva. Algumas ferramentas, como o Keyword Planner e o SEMrush, servem como excelentes ferramentas de suporte na sua estratégia de marketing digital para pequenas empresas. Eles ajudam você a encontrar os termos mais buscados pelos usuários da web, relativos ao seu negócio. Assim, fica mais fácil explorá-las, sempre da maneira mais natural possível, em seu conteúdo.

O resultado é que os motores de busca do Google escaneiam o seu conteúdo e registram a ocorrência dessa palavra-chave nos seus textos. Logo, quando um usuário usar esse termo nas suas buscas, aumentam suas chances de que ele encontre o seu site como resultado.

7. Mantenha um calendário editorial

Por falar em planejamento, outra estratégia de marketing digital para pequenas empresas que você precisa conhecer é o calendário editorial. Essa ferramenta nada mais é do que um documento com todas as datas e todas as informações relevantes referentes à sua estratégia de marketing de conteúdo.

Normalmente, o calendário editorial possui:

  • o tipo de conteúdo que será publicado (blogpost, e-book, etc);

  • o tema abordado e a quantidade de palavras;

  • a palavra-chave;

  • a persona;

  • a data de publicação;

  • as datas de divulgação em cada rede social;

  • outras informações relevantes para a equipe.

Possuir um calendário editorial traz inúmeras vantagens para sua estratégia de marketing digital para pequenas empresas.

A principal delas é tornar o processo mais organizado, já que permite que você planeje com maior antecedência cada um dos seus conteúdos. Assim é possível verificar se a produção está sendo realizada no prazo correto e gerenciar eventuais atrasos com mais tranquilidade.

Outra vantagem é que você possui, desde o princípio, um bom controle de tudo que foi produzido em seu blog. Se você está começando agora a pensar em uma estratégia de marketing digital para pequenas empresas, a medida pode parecer um pouco desnecessária. 

No entanto,  na medida em que mais posts vão sendo criados e a sua página vai crescendo, fica mais complicado controlar quais assuntos já foram abordados e quais palavras-chaves foram utilizadas, por exemplo.

Além disso, possuir um calendário editorial permite que você tenha uma ideia melhor dos temas que funcionam e dos que não fazem tanto sucesso.

8. Tenha um site responsivo

Uma outra dica importante de marketing digital para pequenas empresas é possuir um site responsivo. Ou seja, cujo conteúdo se adapta a qualquer formato de tela em que seja visualizado, seja de um celular, tablet ou computador.

Segundo o IBGE, 92,1% dos domicílios brasileiros acessam a internet por meio de dispositivos móveis. No entanto, esse não é o único motivo pelo qual o site do seu negócio deveria ser responsivo.

Outra vantagem é que o Google favorece nas buscas as páginas com esse formato. Desde 2015, o buscador penaliza os sites que não são responsivos quando as pesquisas são feitas por usuários que estão utilizando tablets e celulares.

Em outras palavras, não possuir um site responsivo diminui as chances de seu negócio ser encontrado na web. Consequentemente, reduz suas possibilidades de expandir sua carteira de clientes. Existem ainda muitas outras vantagens em adotar um site responsivo que foram exploradas por nós em um post mais detalhado, que você pode ler aqui.

9. Marque presença nas redes sociais

Atualmente, é impossível falar em marketing digital para pequenas empresas sem falar em redes sociais. Se você está começando agora a investir na presença digital do seu negócio, é fundamental criar perfis em sites como Facebook, Instagram, LinkedIn e Twitter.

O ideal é verificar em quais deles sua persona — lembra dela? — é mais atuante e concentrar seus esforços nessas redes. Além de usar o perfil do seu negócio para divulgar as postagens do seu blog e site, você pode usar a página para interagir com potenciais clientes, esclarecer dúvidas sobre a sua área de atuação e, é claro, aumentar suas vendas. 

De acordo com uma pesquisa divulgada pelo site Social Media Examiner, mais de 50% dos profissionais de marketing que usam as redes sociais há pelo menos 2 anos afirmam que a medida os ajudou a incrementar o volume de vendas.

As redes sociais também são um ótimo local para trabalhar o pós-venda, no marketing digital para pequenas empresas. É bastante comum que os clientes se dirijam às páginas das empresas no Facebook, por exemplo, para deixar elogios ou fazer reclamações. E não é raro pessoas discutirem os assuntos relacionados aos temas de suas publicações nos comentários de suas postagens.

Quando você presta um bom atendimento por lá, seja esclarecendo dúvidas, agradecendo elogios ou procurando resolver eventuais problemas de seus clientes com seu produto ou serviço, contribui para criar uma imagem positiva da sua empresa. Isso passa confiança para quem está pensando em fazer negócios com você e aumenta sua credibilidade no mercado.

Atualmente também é util cadastrar seu negócio em sites como guias e portais relevantes relacionados à sua área de atuação. Provendo informações suficientes, você poderá ser encontrado também através deles. Vários desses guias e portais possuem a funcionalidade do cliente fazer avaliações ou dar uma pontuação, além de deixar mensagens, fazer perguntas, etc.

10. Invista em anúncios no Google e nas redes sociais

Conquistar novos clientes de maneira orgânica é uma estratégia importante de marketing digital para pequenas empresas. Isso não exclui, no entanto, a necessidade de investir em anúncios no Google e em redes sociais como o Facebook e o Instagram.

Usando soluções como o Google AdWords, plataforma de serviços de publicidade do Google, você pode conseguir bons resultados em termos de visibilidade fazendo um investimento relativamente baixo.

A ferramenta é bastante intuitiva e permite que você segmente seu anúncio de modo que ele apareça somente para quem realmente se interessa pelo produto ou serviço que você tem a oferecer. É possível, por exemplo, criar filtros por idioma, palavras-chaves, localização e uma série de outras variáveis.

Outra enorme vantagem, especialmente para quem está começando a investir em marketing digital para pequenas empresas agora, é que você consegue controlar totalmente os custos. Por meio da plataforma, é possível determinar quanto será investido, por campanha, dia, ou mês. Além disso você também terá a opção de anunciar sob a forma de Banners, que podem ser publicados em sites que recebem a visita de pessoas com o perfil de sua persona.

Da mesma maneira, você pode veicular anúncios no Facebook via Facebook Ads. Tal como acontece no AdWords, é possível patrocinar posts filtrando seu público-alvo por variáveis como idade, gênero e localização. O investimento também é relativamente baixo e pode ser totalmente controlado a cada campanha.

11. Explore as potencialidades do e-mail marketing

Você saiba que, de acordo com uma pesquisa realizada pela McKinsey & Company, colaboradores de empresas costumam passar, em média, 13 horas por semana de sua jornada de trabalho somente verificando seu e-mail?

Se as pessoas dedicam tanto tempo assim às suas caixas de entrada, então esse é um ótimo canal para você falar sobre seu negócio para potenciais clientes, não é mesmo?

Por isso, uma ótima dica de marketing digital para pequenas empresas é explorar as potencialidades do e-mail marketing. Isso possibilita trabalhar com a comunicação direta com clientes e possíveis novos clientes através de e-mail.

Ao contrário do que muita gente imagina, o e-mail marketing vai muito além do que fazer uma mera propaganda do seu negócio. Esse tipo de material muitas vezes não traz informações relevantes para quem recebe e acaba se transformando em spam.

Você pode usar a estratégia, por exemplo, para divulgar informações sobre a sua área de atuação publicadas no blog da empresa e que podem ser úteis para o seu leitor. Trata-se portanto, de uma excelente maneira de manter relacionamento com esse público, fechar novas vendas e, é claro, promover seus conteúdos!

12. Conheça os termos básicos relacionados ao negócio

Muitas vezes, empreendedores interessados em investir em estratégias de marketing digital para pequenas empresas tendem a sentir-se um pouco desestimulados por achar que trata-se de um universo específico ou complexo demais.

Na verdade, a partir do momento que você conhece alguns termos comuns do negócio, fica mais fácil compreender como ele funciona e perceber que não é tão complicado assim. Ao longo do texto, introduzimos uma série de novos termos para você.  No entanto, existem ainda alguns outros conceitos básicos que você precisa conhecer.  Saiba quais são eles!

  • Black hat: são práticas de SEO que ajudam a ranquear o seu site no Google de maneira antiética e que, quando detectadas, resultam em severa penalização para a sua página pelo buscador.

  • Call to action: o termo em inglês pode ser traduzido como chamada para ação. Em outras palavras. Consiste em uma frase em que você convida o leitor a fazer alguma coisa, como acessar um link, deixar um comentário ou baixar um e-book, por exemplo.

  • Engajamento: trata-se de uma palavra para definir a interação que os potenciais clientes têm com o conteúdo produzido pela sua marca. Pode ser medido por uma série de variáveis, como likes, comentários e compartilhamentos, por exemplo. Essa medida é muito utilizada como um “termômetro” no marketing digital para pequenas empresas, mostrando como repercutem suas ações.

  • Funil de vendas: trata-se de uma maneira de identificar o estágio em que o potencial cliente encontra-se no processo de vendas e que ajuda a determinar a sua estratégia de marketing de conteúdo. Para clientes que estão no topo do funil, ou seja, começando a relacionar-se com o seu negócio, é preciso produzir conteúdos mais introdutórios. Já aqueles que já estão quase fechando a venda precisam de textos mais específicos, que atendam necessidades mais pontuais.

  • Lead: trata-se de um potencial cliente do seu negócio, que demonstrou algum interesse em seu produto ou serviço, normalmente preenchendo um formulário de dados em seu site ou assinando uma newsletter. Ou seja, é um contato captado por livre e espontânea vontade dele, que ajudará a forma sua lista de email com qualidade.

  • UI design: a expressão em inglês, que pode ser traduzida como design de interface do usuário, é usada para definir a maneira com que o usuário interage com um site, software ou aplicativo. Falando de maneira geral, são os botões, menus e quaisquer elementos que o ajudem a relacionar-se com a página.

  • UX design: o termo é utilizado para designar não a interação, mas a experiência do usuário de maneira mais ampla. Em outras palavras, o UX designer trabalha em características que melhoram essa experiência, como facilidade de uso, eficiência na realização de tarefas e na solução de problemas.

13. Mensure os resultados periodicamente

De todas as estratégias de marketing digital para pequenas empresas que você conheceu até agora, qual é a mais efetiva? É aquela que trouxer resultados reais para o seu negócio, possibilitando que você alcance as metas estabelecidas.

Por isso, tão importante quanto conhecer boas estratégias é saber mensurar se elas estão trazendo o retorno esperado. Afinal de contas, se você vai investir tempo e dinheiro em marketing digital para pequenas empresas, precisa ver resultados, não é mesmo?

O ideal é que você faça uma análise do andamento da sua estratégia de marketing digital para pequenas empresas periodicamente, inclusive para realizar eventuais correções de rotas.

É possível usar uma série de métricas para verificar a efetividade da sua estratégia de marketing digital para pequenas empresas. Conheça agora algumas das mais comuns:

  • Retorno sobre investimento (ROI): uma das métricas mais importantes para quem trabalha com marketing digital para pequenas empresas, o ROI, como o nome diz, mostra qual foi o seu retorno financeiro obtido mediante o valor investido. O cálculo do ROI é determinado pela equação: receita obtida – valor investido / valor investido.

  • Custo de aquisição por cliente (CAC): por meio desta métrica, você pode determinar quando está gastando para conquistar um novo consumidor para o seu produto ou serviço. Para calculá-la, é importante incluir todos os custos envolvidos, como despesas com vendas e investimentos em marketing em um determinado período. O CAC pode ser expresso pela equação: despesas + investimentos / número de novos clientes.

  • Custo por clique (CPC): esta é uma métrica utilizada nas campanhas em redes sociais ou no Google, por exemplo. Por meio dela, você consegue avaliar quanto está precisando investir para que uma pessoa chegue até uma determinada página do seu site e, assim, entender quais anúncios estão indo bem e quais devem ser descartados. Pode ser expressa pela equação: custo da campanha / número de cliques obtidos.

Gostou de entender um pouco mais sobre as estratégias mais eficazes de marketing digital para pequenas empresas? Se você quer ficar sempre por dentro das novidades da área, assine agora mesmo nossa newsletter!