Conheça as diferenças entre mídia paga e mídia orgânica

Se você está iniciando agora a inserção da sua marca ou de seu negócio no ambiente digital, pode ser que ainda tenha muitas dúvidas sobre as melhores estratégias para aumentar sua relevância nesse meio. Afinal, é uma boa ideia investir em mídia paga ou devo apostar todas as minhas fichas em mídia orgânica?

Para poder traçar uma estratégia eficiente, o primeiro passo é entender melhor as principais características de cada uma e como elas podem ajudar você a conquistar mais clientes. Preparado? Então acompanhe nosso post!

Afinal, o que é mídia paga?

Em palavras simples, mídia paga é quando o seu negócio aparece com algum tipo de destaque na Internet, seja no Google, em outros sites ou em redes sociais, como o Facebook e o Instagram, por meio  de um anúncio.

Para conseguir esse tipo de destaque, é preciso pagar uma quantia para esses veículos. Muitas vezes, por não conhecerem bem o mercado, alguns empreendedores acreditam que a mídia paga é uma maneira preguiçosa ou até mesmo fraudulenta de conquistar audiência, o que está longe de ser verdade. É importante ter em mente que trata-se de uma maneira totalmente lícita de aumentar a visibilidade de sua marca e conquistar novos clientes.

Uma das maiores vantagens da mídia paga é que é possível conseguir ótimos resultados sem a necessidade de investimentos astronômicos. Além disso, é possível ter controle total do orçamento, já que você pode decidir antecipadamente quanto quer investir por dia, por mês ou por campanha.

Outra vantagem de optar pela mídia paga é que você pode segmentar os anúncios levando em consideração variáveis como localização, gênero, poder aquisitivo, ecolaridade e idade, por exemplo. Assim, a página da sua empresa só aparece para quem realmente pode se interessar por seu produto ou serviço.

Ao contrário do que pode parecer em um primeiro momento, trabalhar com mídia paga não é complicado. Em geral, as plataformas de publicidade são bastante intuitivas e oferecem uma boa experiência mesmo para usuários iniciantes.

Conheça algumas maneiras de utilizar a mídia paga:

  • Google AdWords: no principal serviço de publicidade do Google, você paga apenas quando seus anúncios receberem cliques.

  • Facebook Ads: o sistema de mídia paga da maior rede social do mundo oferece uma enorme variedade de formatos e segmentações de anúncios.

  • LinkedIn Ads: a plataforma da rede social voltada para o mercado de trabalho e mundo corporativo é uma excelente alternativa para quem tem público B2B ou precisa vender seus produtos ou serviços para empresas.

  • Native Ads: nesse método de mídia paga, a página da sua empresa aparece de maneira mais natural, como uma espécie de recomendação de conteúdo dentro de um site de notícias.

E o que é mídia orgânica?

Diferente do que acontece com a mídia paga, a mídia orgânica abrange todas as possibilidades que sua marca tem de se tornar conhecida sem que você tenha que pagar por isso. Essa visibilidade espontânea pode acontecer de diversas maneiras.

Uma delas é quando você produz conteúdo relevante, já que ele ajuda a melhorar seu ranqueamento em buscadores como o Google, aumentando as chances de que a página da sua empresa seja encontrada naturalmente.

Outro bom exemplo de mídia orgânica é quando um conteúdo de sua marca gera engajamento nas redes sociais. Se o material atrelado à sua imagem recebe muitos likes e compartilhamentos, se gera uma discussão interessante ou é bastante comentado, isso ajuda a tornar sua empresa mais conhecida e, de quebra, você ainda tem acesso à informações valiosas sobre como pensam e reagem seus potenciais consumidores diante de tais assuntos e temas.

Além de permitir que você conheça melhor o seu público-alvo, uma das maiores vantagens da mídia orgânica é que ela promove um crescimento sustentável. Produzir conteúdo relevante ajuda a posicionar sua marca como referência no seu nicho de atuação, o que traz ganhos reais em longo prazo.

Elementos importantes na mídia orgânica são os termos e palavras chave utilizadas em seus conteúdos, através dos quais seus consumidores muitas vezes encontrarão você na internet através buscas ou pesquisas. Quando se fala na sigla SEO (search engine optimization) na verdade se fala da importância desses termos e palavras chave serem bem pensados e bem inseridos em seus conteúdos. Ao longo do tempo, esses termos e palavras chave relacionados às suas atividades e produtos, ou aos assuntos que interessam às suas personas, vão sendo melhor ranqueados e ganhando maior elevância, na medida em que seus conteúdos sejam reconhecidos como sendo de qualidade e conquistando maior audiência. Para atingir esse objetivo ainda existem outras técnicas que podem ajudar, como o link building.

O que é melhor: apostar em mídia paga ou orgânica?

Não há como dar uma resposta simples para essa pergunta. A proporção da utilização de mídia paga ou orgânica em sua estratégia de marketing digital está vinculada a uma série de fatores, que precisam ser analisados individualmente.

De qualquer maneira, é essencial nunca apostar todas as suas fichas em apenas um dos dois tipos de mídia, já que ambos têm eficiência comprovada. Mesclar as duas estratégias, usando cada uma delas em momentos específicos, é a chave para se destacar da concorrência, ganhar relevância e alcançar cada vez mais novos clientes.

Você já conhecia algumas das plataformas de mídia paga citadas nesse artigo? Qual delas você acredita que se encaixa melhor na sua estratégia de marketing digital? Compartilhe suas impressões e experiências conosco no campo de comentários!